06 setembro 2012

O dia 2 já vai longe, e ainda estou bem a tempo de escrever-te. Tu não te importas que eu me atrase nas palavras. De facto, elas estão sempre bem guardadas e tu fazes vir ao de cima o melhor de mim. Todos os sonhos que construo contigo, são uma jornada na qual participamos ambos. Todo o tempo é aproveitado a pensar em ti, fechada no teu abraço forte e perturbada pelo teu cheiro quente. Largo-te da mão e só quero voltar a agarrá-la ou viro costas e sinto falta de outro beijo teu. O amor é assim. O nosso amor é assim. Quanto mais intenso, mais difícil de controlar. Cheio de desejo, de sentimentos mútuos, de transmissão de pensamentos, de olhares e cumplicidade. Mas é fresco e matreiro. Ameaça, mas não cumpre. Talvez tenha medo das minhas caras estranhas ou do vazio em que se torna a minha vida. Aquela nuvem enorme que se deposita sobre nós e esconde o nosso céu de estrelas. Sopra-a para longe e vem para ao pé de mim. Enlaça a tua mão na minha, desvia o cabelo dos meus olhos, agarra-me e não me deixes fugir nunca. Fecha os olhos e descansa. Hoje sou eu que te canto ao adormecer.

1 comentário:

AnaM disse...

Obrigada pela ajuda querida :)